Paragens Ilustradas em aldeias portuguesas

Ainda em 2016 o Desejos Urbanos foi convidado a participar do projeto Arte Pública Fundação EDP, que busca levar, através de um processo colaborativo, intervenções artísticas de variados tipos ao meio rural de Portugal. Juntamente com mais 3 artistas (João Samina,

Paragens Ilustradas em aldeias portuguesas

Ainda em 2016 o Desejos Urbanos foi convidado a participar do projeto Arte Pública Fundação EDP, que busca levar, através de um processo colaborativo, intervenções artísticas de variados tipos ao meio rural de Portugal. Juntamente com mais 3 artistas (João Samina,

um céu para Lisboa

Em 2016 o Desejos Urbanos atravessou o oceano e desembarcou em Portugal. Metade em São Paulo, metade em Lisboa, seguimos desafiando diariamente o fuso horário, as distâncias e as saudades. Para estrear esta nova etapa decidimos participar do projeto de arte

um céu para Lisboa

Em 2016 o Desejos Urbanos atravessou o oceano e desembarcou em Portugal. Metade em São Paulo, metade em Lisboa, seguimos desafiando diariamente o fuso horário, as distâncias e as saudades. Para estrear esta nova etapa decidimos participar do projeto de arte

Curso Poesias Visuais Urbanas em Recife

Em maio de 2016 realizamos pela primeira vez o curso Poesias Visuais Urbanas. Sessenta horas em apenas três semanas. Na linda Recife. Intenso, emocionante, gratificante. Primeira semana: Experimentações Urbanas. O objetivo desse módulo foi abrir o olhar sobre a urbe, redescobrir Recife, experimentar e explorar o

Curso Poesias Visuais Urbanas em Recife

Em maio de 2016 realizamos pela primeira vez o curso Poesias Visuais Urbanas. Sessenta horas em apenas três semanas. Na linda Recife. Intenso, emocionante, gratificante. Primeira semana: Experimentações Urbanas. O objetivo desse módulo foi abrir o olhar sobre a urbe, redescobrir Recife, experimentar e explorar o

Pequena coleção de janelas na Casa Tombada

Já faz um tempinho… abril de 2016. Nesses momentos percebo quão estamos mergulhadas em nosso ofícios, em nossas vidas, no fazer, no viver e viver. Mas não podíamos deixar de relatar aqui como foi lindo este encontro por entre as janelas acolhedoras da

Pequena coleção de janelas na Casa Tombada

Já faz um tempinho… abril de 2016. Nesses momentos percebo quão estamos mergulhadas em nosso ofícios, em nossas vidas, no fazer, no viver e viver. Mas não podíamos deixar de relatar aqui como foi lindo este encontro por entre as janelas acolhedoras da

Lá debaixo da água pelo Sesc Pinheiros

Até hoje, todas as oficinas do Desejos Urbanos foram desdobramentos de intervenções urbanas nossas, criadas a partir de questões e estéticas nascidas em nossas experiências e rotinas com a cidade. E assim foi até aceitarmos o convite do Sesc Pinheiros para

Lá debaixo da água pelo Sesc Pinheiros

Até hoje, todas as oficinas do Desejos Urbanos foram desdobramentos de intervenções urbanas nossas, criadas a partir de questões e estéticas nascidas em nossas experiências e rotinas com a cidade. E assim foi até aceitarmos o convite do Sesc Pinheiros para

Guia do Espaço Público 2016 – Conexão Cultural

Em maio passado foi lançado o Guia do Espaço Público – para Inspirar e Transformar. Um super guia sobre como utilizar, enriquecer e recriar espaços públicos por meio ocupações e ações culturais na cidade de São Paulo. Fomos convidadas a falar

Guia do Espaço Público 2016 – Conexão Cultural

Em maio passado foi lançado o Guia do Espaço Público – para Inspirar e Transformar. Um super guia sobre como utilizar, enriquecer e recriar espaços públicos por meio ocupações e ações culturais na cidade de São Paulo. Fomos convidadas a falar

Desejos Urbanos em Fortaleza

Foi há sete meses. E o tempo vôou um cadinho. 2015 foi um ano fulminante. Parece que só agora começamos a nos dar conta. Não tivemos férias, não paramos, não conseguimos refletir sobre tudo que vivemos nesse ano. Deixamos de lado os rituais de

Desejos Urbanos em Fortaleza

Foi há sete meses. E o tempo vôou um cadinho. 2015 foi um ano fulminante. Parece que só agora começamos a nos dar conta. Não tivemos férias, não paramos, não conseguimos refletir sobre tudo que vivemos nesse ano. Deixamos de lado os rituais de