Mata Morada

Sentado no degrau da varanda em uma cidade pequena do interior um irmão diz:

–  Se fosse cego e tudo que eu visse fosse sempre escuro… mesmo assim eu saberia quando é noite.

–  Como?

–  O cheiro da noite é diferente, tem esse cheiro de flor branca.

….

Num dia quente, uma menina nada na cachoeira.

Ela se enche de coragem e curiosidade, mergulha e abre os olhos.

Enxerga confusos pedaços, são peixes, galhos e lodo que balançam suaves como seu corpo nas águas turvas e verdes.

….

Mãe e filha escutam atentas o noticiário e sua reportagem sobre um viaduto no meio da cidade de São Paulo que foi fechado faz alguns anos.

Mesmo de concreto o viaduto foi tomado pela vegetação, criou um substrato e até árvore cresceu nele.

As duas comentam surpresas: como a mata pôde devorar um viaduto no meio da metrópole?

….

Duas amigas no meio de um rio.

A comunidade mais próxima está distante um dia de barco.

O comandante desliga a última lâmpada e tudo é engolido pela noite.

As amigas, mesmo avisadas, se assustam: nunca nada foi tão escuro assim.

Apreensiva, uma delas pede um pouco de luz para se mover ou mesmo se acalmar.

O capitão nega e pede paciência.

Pouco a pouco os olhos se acostumam ao breu e pequenos pontos se acendem, se revelam milhares de estrelas que brilhando se multiplicam no reflexo do rio.

A mata agora é textura prateada de folhas enrugadas.

As amigas nunca esqueceram da noite mais escura e bela de suas vidas.

….

Estas foram algumas das inúmeras lembranças e pensamentos que surgiram ao ouvirmos as palavras: intervenção urbana, cidade e mata.

O convite veio da Fundação S.O.S. Mata Atlântica para participar da 10ª Edição do Viva a Mata, com o tema: Mata Atlântica, Sua Casa.

Buscamos através do Desejos Urbanos novos olhares sobre a cidade e nos perguntando: como nunca havíamos nos dado conta disso?

A intervenção Mata Morada mistura, em cinco casas flutuantes, o símbolo da morada, nossas vivências com a natureza e a rotina urbana. Convidamos, assim, o transeunte a mudar o seu caminhar diário, adentrar o olhar através das janelas e repensar a relação entre a mata e ambiente urbano. Uma forma de despertar os sentidos e memórias ancestrais e relembrar que nossa cidade também está inserida na região da Mata Atlântica.

A casa-árvore abordou a relação emaranhada entre galhos, janelas e paredes e nos revelou que qualquer tentativa de separação é delicada, sendo impossível a retirada de uma sem dano a outra.

A casa-espelho propôs um jogo sobre o espaço interno x  o espaço externo. Quem pertence a quem? Ao olhar para dentro da casa seu olhar era levado para o lado de fora; através de uma janela túnel ou de espelhos.

A casa-camuflada poderia ser a sua ou a minha casa com cama, sofá, abajur e geladeira. Seus três andares mobiliados foram inteiramente cobertos por texturas da mata: a cozinha como solo de terra com fungos e raízes, a sala com sua copa verde das árvores e o quarto como flores vermelhas.

A casa-noite guardava na escuridão algo que se perdeu nas cidades iluminadas. Propôs a paciência da espera até conseguirmos encontrar as estrelas.

A casa-rio foi uma brincadeira de ver e não ver, onde é impossível enxergar o todo ou ver com nitidez. Como em um mergulho no rio, o que vemos são pedaços turvos de peixes e cores ao balanço do vento.

Com apoio da Subprefeitura de Pinheiros, nossas casas foram penduradas na Passarela-Verde, que atravessa a Avenida Eusébio Matoso, em São Paulo, no dia 16 de maio. Por ali permaneceram até serem engolidas pela cidade.

Esta foi a primeira intervenção em que trabalhamos com  o olfato. Cada casa foi banhada por uma essência de aromas de mato ou flores noturnas.

O  vídeo e as fotos do coletivo que amamos, Cinema de Rua , foram exibidos de 23 a 25 de junho no evento Viva Mata na Marquise do Ibirapuera e agora podem ser conferidos aqui no blog.

Foi mais uma experiência maravilhosa, possível somente pelo imenso apoio e dedicação de grandes parceiros. Nosso muito obrigada à Subprefeitura de Pinheiros, Fundação S.O.S.mata Atlântica, Cinema de Rua, Studio Prompt e famílias (sempre juntas nas nossas invenções).

🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s